Recipes

Apfelstrudel (Folhado de maçã)

Wiener_Apfelstrudel

Para 8 pessoas

 

Ingredientes:

Massa para o folhado de maçã

  • 150 ml de leite
  • 250 gr de farinha
  • 1 Ovo (tamanho M)
  • 2 colheres (sopa) de óleo
  • ½ colheres (sopa) de vinho branco
  • Sal
  • Óleo para untar
  • Farinha para trabalhar a massa

Recheio

  • 50 gr de amêndoas laminadas
  • 100 gr de manteiga
  • 60 gr de pão ralado
  • 150 gr de açúcar
  • 1 limão
  • 800 gr de maçãs ácidas (do tipo Reineta ou Elstar)
  • 40 ml de aguardente Calvados
  • 40 ml de rum escuro
  • 50 gr de passas
  • ½ colheres (sobremesa) de canela em pó
  • Açúcar em pó para polvilhar

Creme de baunilha

  • 1 vagem de baunilha
  • 250 ml de leite
  • 250 gr de chantilly
  • 6 gemas (tamanho M)
  • 80 gr de açúcar em pó

 

Modo de preparação:

  1. Para fazer a massa do strudel de maçã, amorne o leite. Usando uma batedeira com varetas para massa, misture a farinha, os ovos, o óleo, o vinho branco, uma pitada de sal e o leite até obter uma massa lisa macia. Coloque a massa num prato fundo untado com óleo, pincele-a novamente com óleo, cubra-a e deixe-a repousar durante duas horas num lugar quente.
  2. Para fazer o recheio, torre as amêndoas laminadas numa frigideira sem gordura até ficarem douradas. Aqueça 50 gr de manteiga na frigideira. Acrescente o pão ralado, 50 gr de açúcar e deixe aloirar em lume brando. Deixe arrefecer.
  3. Esprema o limão. Descasque as maçãs, corte-as em quartos, retire-lhes os caroços e volte a cortá-los em fatias finas de 2-3 mm. Misture as maçãs, o sumo de limão, o restante açúcar, o Calvados, o rum, as passas, a canela e as amêndoas.
  4. Derreta a restante manteiga e reserve. Estenda a massa sobre um pano de cozinha polvilhado com farinha e estique-a com as costas da mão até obter uma massa fina com cerca de 60x60cm. Corte as bordas da massa mais grossas. Com metade da manteiga, pincele a massa com uma camada fina. Espalhe o pão ralado sobre a massa, deixando uma margem de 5 cm a toda à volta. Espalhe o recheio de maçã por cima. Dobre as extremidades sobre o recheio da massa. Enrole o Apfelstrudel com o auxílio do pano de cozinha e com a emenda da massa para baixo, coloque-o num tabuleiro forrado com papel vegetal. Pincele com a restante manteiga derretida. Coloque o Apfelstrudel no forno pré-aquecido a 200º, na segunda prateleira a contar do fundo, e deixe cozer entre 20-25 minutos. Polvilhe o Apfelstrudel com açúcar em pó.
  5. Para o creme de baunilha, corte a vagem de baunilha ao comprido, raspe o interior e ferva juntamente com o leite e o chantilly. Retire a vagem de baunilha. Bata as gemas com o açúcar em pó até formar um creme e, em seguida, verta lentamente o leite quente enquanto mexe.
  6. Verta a mistura para uma panela e aqueça-a, mexendo constantemente (não ferver!), até esta ficar cremosa e espessa. Verta o creme para uma tigela através de uma peneira. Sirva o Apfelstrudel quente ou frio com o creme de baunilha.

 

Source: Apfelstrudel mit Vanillesauce

Abstracts · Scientific Abstracts

Um estudo da Abstinência Neonatal de Narcóticos com duração de quatro anos: Avaliação e Tratamento

Matityahu Lifshitz MD1, Vladimir Gavrilov MD1, Aharon Galil MD2 and Daniella Landau MD3
1Unidade toxicológica, 2Centro de Desenvolvimento Infantil de Zusman, e 3Departamento de Neonatalogia, Centro Médico da Universidade de Soroka e Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade de Ben-Gurion do Negev, Beer Sheva, Israel

Palavras-chave: neonato, narcótico, síndrome de abstinência, dependência

RESUMO

Enquadramento: O abuso de narcóticos tem-se vindo a tornar mais prevalente em Israel e poderá resultar num aumento do número de bebés expostos a narcóticos na gestação, tendo como consequência o aumento  do número de neonatos com a SAN (Síndrome de Abstinência Neonatal).

Objetivo: Divulgar a nossa experiência com bebés nascidos de mulheres dependentes de narcóticos entre 1995 e 1998, no Soroka University Medical Center.

Metodologia: Foram analisados retrospetivamente os registos médicos de 24 recém-nascidos e das suas progenitoras toxicodependentes, que haviam sido admitidas no nosso Centro Médico para parturientes. Foi estabelecido um diagnóstico da SAN na base da apresentação clínica e na anamnese. A Escala de Avaliação de Finnegan de Abstinência Neonatal foi utilizada para avaliar a abstinência às drogas. Só se fez a análise toxicológica da urina para analisar a presença de narcóticos  no ano de 1998.

Resultados: Dos 24 recém-nascidos expostos no período pré-natal a narcóticos, 23 (96%) desenvolveram SAN e desses 23, 18 (78%) obtiveram uma pontuação de Finnegan igual ou superior a 8. Estes 18 bebés foram tratados farmacologicamente (tintura de ópio e/ou fenorbarbital) até a pontuação ter sido reduzida para menos de 8, tendo recebido tratamento de seguimento posteriormente. A medicação foi interrompida numa criança que se tornou letárgica após receber a primeira dose de tintura de ópio, tendo recebido apenas tratamento de seguimento. Quatro dos cinco neonatos com pontuações iguais ou inferiores a 7 receberam tratamento de seguimento. Um dos cinco bebés que havia obtido uma pontuação de Finnegan baixa após o parto, todavia, foi tratado farmacologicamente para prevenir a deterioração posterior do seu estado físico, visto este ter nascido com dispneia grave. Dez das 24 crianças (42%) foram seguidas por períodos de tempo de 6 a 22 meses após a alta hospitalar, nos quais todos apresentaram um desenvolvimento normal.

Conclusões: Cerca de três quartos dos recém-nascidos que apresentaram Síndrome de Abstinência necessitaram de tratamento farmacológico. Informação prévia referente ao abuso de drogas pela mãe é um critério crucial para um diagnóstico e tratamento precoce.

Source: A Four Year Survey of Neonatal Narcotic Withdrawal

Abstracts · Scientific Abstracts

Abstinência neonatal causada por dependência materna de substâncias voláteis

RESUMO
Objetivo: Determinar se neonatos nascidos de progenitoras dependentes de substâncias voláteis estão em risco de ter SAN (Síndrome de Abstinência Neonatal).

Metodologia: Uma amostra consecutiva de bebés nascidos de progenitoras dependentes de substâncias voláteis foi estudada durante quatro anos, num centro médico associado a uma universidade, com uma combinação variável de cuidados primários, secundários e terciários de doentes. Os bebés foram avaliados clinicamente com a Escala de Avaliação de Finnegan de Abstinência Neonatal. Aqueles que preencheram os critérios de pontuação a priori foram tratados com fenobarbital e a avaliação foi continuada.

Resultados: Dos 48 bebés, 32 preencheram os critérios para farmacoterapia. Os oito bebés com o odor característico e 15 dos 21 bebés nascidos de progenitoras com esse mesmo odor preencheram este critério. Os sintomas mais característicos foram o choro gritado e excessivamente gritado, insónias, reflexo de Moro aumentado, tremores, hipotonia, e dificuldade alimentar. A média de idades de início do tratamento foi de 27,1 horas e a duração média foi de 5 a 8 dias. O tratamento foi considerado eficaz em 17 de 27, enquanto os benefícios foram medianos em 3 e ausentes em 7.

Conclusões: Verifica-se que existe uma Síndrome de Abstinência Neonatal identificável causada por dependência de substâncias voláteis. O odor químico característico no neonato ou na progenitora é uma marca da sua ocorrência e o tratamento com fenobarbital aparenta ser eficaz. A Escala de Avaliação de Finnegan parece ser útil para classificar a sua gravidade.

Source: Neonatal withdrawal from maternal volatile substance abuse

Abstracts · Scientific Abstracts

Response to a Monovalent 2009 Influenza A (H1N1) Vaccine

Greenberg, M, et al.

ABSTRACT

Background

A novel 2009 influenza A (H1N1) virus is responsible for the first influenza pandemic in 41 years and a safe and effective vaccine is needed. A randomized, observer-blind, parallel-group trial evaluating two doses of an inactivated, split-virus 2009 H1N1 vaccine in healthy adults between the ages of 18 and 64 years is being held/conducted at a single site in Australia.

Methodology

The immunogenicity and safety of the vaccine after each of two scheduled doses, administered 21 days apart were evaluated. A total of 240 subjects, equally divided into two age groups (<50 years and 50 years), were enrolled and underwent randomisation to receive either 15 µg or 30 µg of hemagglutinin antigen by intramuscular injection. The antibody titers using hemagglutination-inhibition and microneutralization assays at baseline and 21 days after vaccination were measured. The co-primary immunogenicity endpoints were the proportion of subjects with antibody titers of 1:40 or more on hemagglutination-inhibition assay, the proportion of subjects with either seroconversion or a significant increase in antibody titer, and the factor increase in the geometric mean titer.

Findings

By day 21 after the first dose, antibody titers of 1:40 or more were observed in 114 of 120 subjects (95.0%) who received the 15-µg dose and in 106 of 119 subjects (89.1%) who received the 30-µg dose. A similar result was observed after the second dose of vaccine. No deaths, serious adverse reactions, or adverse events of special interest were reported. Local discomfort (e.g., injection-site tenderness or pain) was reported by 56.3% of subjects, and systemic symptoms (e.g., headache) by 53.8% of subjects after each dose. Nearly all reactions were mild to moderate in intensity.

Conclusions

A single 15-µg dose of 2009 H1N1 vaccine was immunogenic in adults, with mild-to-moderate vaccine-associated reactions.

Source: Resposta a uma Vacina Monovalente para a Gripe A (H1N1) 2009