Articles

Genes-chave provocam envelhecimento

O envelhecimento afeta todas as criaturas existentes neste planeta e todos nós sonhamos com um antídoto. No entanto, o processo de envelhecimento ainda permanece um grande mistério, mesmo após várias décadas de investigação. Novas descobertas sugerem que existe uma boa razão para este impasse: é provável que os cientistas tenham andado a pensar nas razões para o envelhecimento erradas. Em vez de ser o resultado da acumulação de anomalias genéticas e celulares, novos indícios sugerem que o envelhecimento ocorre quando os programas genéticos para o desenvolvimento correm mal.

A ideia de que o stress e as formas reativas do oxigénio – “radicais livres” que são os normais subprodutos do metabolismo – proporcionam o envelhecimento dominou o campo científico durante 50 anos. Estudos na espécie de verme Caenorhabditis elegans demonstraram que as espécies com menor exposição ao oxigénio reativo têm uma maior esperança de vida e os vermes que se têm reproduzido para viver durante mais tempo são mais resistentes ao stress. Contudo, poucos estudos conseguiram associar definitivamente danos oxidativos a células alteradas.

Os cientistas constataram também que as alterações genéticas intrínsecas acompanham o envelhecimento. Á medida que os murganhos envelhecem, um gene chamado p16INK4a, que controla o crescimento e a regeneração das células, torna-se mais ativo na maioria dos tecidos, impedindo as células de se regenerarem após um ferimento ou doença com a mesma facilidade das células novas. E comparadas com as células estaminais dos murganhos jovens, as dos mais velhos acumulam um complexo de proteínas que, com o passar do tempo, transformam os músculos em tecido fibroso e adiposo.

No entanto, estas descobertas acabaram por não servir de muito para desafiar a ideia de que o envelhecimento é o resultado da acumulação de anomalias, uma vez que estas alterações genéticas podem ser apenas uma consequência do envelhecimento e não o agressor. “Esse é sempre um desafio, tentar identificar qual é a causa e qual é o efeito,” diz Brian Kennedy, um bioquímico na Universidade de Washington. Embora os estudos tenham demonstrado que a alteração da expressão de alguns genes pode afetar a esperança de vida de um organismo, não evidente que estes genes estão mesmo envolvidos no normal processo de envelhecimento.

Source: Rethinking the Wrinkling: Key Genes Cause Aging

Advertisements